Araxá, 14 de Novembro 2019
Clima Agora
°

Pesquisar

Você está em

Notícias

Polícia

Publicado em:25/09/2019
Operação Nêmesis do Gaeco cumpre mandados em cidade de Minas e São Paulo
São 71 mandados de busca e apreensão e 42 mandados de prisão expedidos pela justiça de Patos de Minas

Mandados foram cumpridos em várias cidades de MG, inclusive Araxá. Reprodução

Nesta terça-feira, dia 24, a unidade do GAECO em Patos de Minas, com a cooperação das Unidades do GAECO de Belo Horizonte, Uberaba, Uberlândia, Passos, São Paulo, São José do Rio Preto e das Polícias Militares de Minas Gerais e São Paulo, deflagrou a Operação Nêmesis em Minas Gerais e São Paulo. Em Minas Gerais, a operação está sendo desencadeada nas cidades de Patos de Minas, Patrocínio, Presidente Olegário, Serra do Salitre, Araxá, Uberaba, Uberlândia, Sete Lagoas, Monte Carmelo. Já no estado de São Paulo, a operação acontece na capital, Mairiporã e São José do Rio Preto.

Na mitologia grega, Nêmesis era a deusa do equilíbrio e do destino, que punia o comportamento desviante dos homens que quebravam as leis estabelecidas. Além de ser uma opositora da arrogância e orgulho, Nêmesis também defendia as pessoas que tinham sido punidas por crimes que não tinham cometido. A deflagração visa dar cumprimento a 71 mandados de busca e apreensão, 42 mandados de prisão, expedidos pela Justiça Estadual em Patos de Minas em desfavor de integrantes de sociedade delitiva especializada em integrada por pessoas, inclusive agentes públicos que exercem suas atividades em Patos de Minas e São Paulo, que agindo em comunhão de esforços e unidade de desígnios teriam, mediante homicídios, concussão, corrupção, prevaricação, falsidade ideológica, furto e roubo de veículos, de cargas, de fazendas, de estabelecimentos comerciais, receptação e adulteração de sinais identificadores de veículos, cárcere privado, inserção de dados falsos em sistemas de informações dos bancos de dados da Administração Pública, adulteração de sinal identificador de veículo, lavagem de capitais, falsificação e comercialização de documentos públicos, obter vantagem de qualquer natureza.

A investigação está em curso desde 20 de março e contou com diversas medidas investigativas que contribuíram para a elucidação de um dos homicídios, levando a prisão do mandante e os executores pelos agentes do GAECO e guarnições da Polícia Militar, bem como contribuíram para identificar esquema de enriquecimento ilícito, inclusive de agentes públicos através da obtenção de vantagem indevida, os quais deliberadamente e com estabilidade, se uniram para garantir a perpetuação de ações criminosas diversas.

A deflagração da operação visa garantir a ordem pública, assegurar a aplicação da lei penal e atender a conveniência da instrução criminal. Foram identificados mais de quarenta sujeitos ativos que atuam no empreendimento criminoso.

Para garantir o cumprimento dos decretos de prisão preventiva e os mandados de busca, apreensão e sequestro de veículos, há a previsão do emprego de 270 policiais militares, viaturas caracterizadas e descaracterizadas, duas aeronaves, drones, cães, Agentes do GAECO de Minas Gerais e São Paulo, Promotores de Justiça, analistas do Ministério Público e serventuários do Poder Judiciário.

C/ PatosNotícia