Araxá, 22 de Julho 2019
Clima Agora
°

Pesquisar

Você está em

Notícias

Esportes

Publicado em:11/07/2019
:: Xódo Celeste :: Dirceu Lopes desembarca em Araxá para venda do livro
O eterno xódo da torcida celeste estará no Girasol onde receberá torcedores e fãs das 12h às 15h

Dirceu Lopes colecionou títulos, gols e premiações nas décadas de 1960 e 1970

O grande ídolo da Nação Azul e um dos maiores jogadores do futebol brasileiro Dirceu Lopes estará em Araxá neste sábado, dia 13, para divulgar seu livro "O Principe". O eterno xódo da torcida celeste estará no Girasol Clube de Campo onde receberá torcedores e fãs das 12h às 15h para sessão de fotos e autógrafar os livros que estarão sendo comercializados ao preço promocional de R$ 50,00. Também haverá camisas personalizadas e muitos itens do Cruzeiro como toalha, cachecol, mascote, copos e roupas para crianças e recém nascidos.

Carreira de sucesso

Dirceu Lopes colecionou títulos, gols e premiações nas décadas de 1960 e 1970 - campeão mineiro juvenil em 1964; pentacampeão mineiro 1965-1969; campeão brasileiro em 1966; campeão da Copa Rio Branco pela Seleção Brasileira em 1967; tetracampeão mineiro 1972-1975; vice-campeão brasileiro em 1969, 1974 e 1975; eleito o melhor meia dos campeonatos brasileiros de 1970, 1971 e 1972. Com Saldanha no comando da seleção canarinho, Dirceu Lopes era nome certo para a Copa do Mundo de 1970 no México, mas foi cortado pelo novo técnico Mário Zagallo, que alegou já haver "muitos jogadores para a sua posição" no escrete.

Com seu 1,62 metros, o Baixinho foi titular absoluto nos 12 anos em que atuou pelo Cruzeiro. Habilidoso e veloz, sua maior característica era arrancar pelo meio de campo com a bola dominada até a área adversária, vencendo seus marcadores com dribles desconcertantes. Tais lances desarrumavam as defesas adversárias e abriam espaços para os companheiros de ataque ou então para si próprio, pois chutava muito bem, colocado, com força e precisão. A presença de Dirceu Lopes em campo era garantia de bom espetáculo e belos gols. Junto com Tostão, formou uma das maiores duplas ofensivas do mundo, comparável a Pelé e Coutinho, no Santos e Gerson e Jairzinho, no Botafogo.