Araxá, 26 de Maio 2019
Clima Agora
°

Pesquisar

Você está em

Notícias

Veículos

Publicado em:15/02/2019
:: Veículos :: Segunda parcela do IPVA 2019 vai até o próximo dia 20. Fique Ligado...
Em janeiro, arrecadação do tributo foi de R$ 2,559 bilhões. Parcelas atrasadas podem ser pagas normalmente

Começa hoje o pagamento para os finais de placa 1 e 2. Foto Reprodução

A escala de pagamento da segunda parcela do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) 2019, em Minas Gerais, tem início nesta quinta-feira (14), a partir dos finais de placa 1 e 2, e termina na próxima quarta-feira (20/2), com os finais de placa 9 e 0.

A Secretaria de Estado de Fazenda (SEF) lembra que os proprietários que não pagaram a primeira parcela devem quitar a segunda na data estabelecida, para não sofrer multa e juros. Já a parcela em atraso pode ser paga normalmente - os valores serão atualizados automaticamente.

O pagamento do IPVA pode ser feito diretamente nos terminais de autoatendimento ou guichês dos agentes arrecadadores autorizados - Bradesco, Mercantil do Brasil, Caixa Econômica Federal, Casas Lotéricas, Mais BB, Banco Postal, Santander e Sicoob -, bastando informar o número do Renavam do veículo.

Para pagamento em casas lotéricas, Mais BB e Banco Postal é necessário levar a guia de arrecadação, que pode ser emitida pelo site www.fazenda.mg.gov.br ou nas Repartições Fazendárias.

O não pagamento do IPVA nos prazos estabelecidos gera multa de 0,3% ao dia (até o 30º dia), e de 20% após o trigésimo dia. Os juros são calculados pela taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e incidem sobre o valor do imposto ou das parcelas, acrescido da multa.

Taxa de Licenciamento

A Taxa de Renovação do Licenciamento Anual de Veículo (TRLAV), cujo valor é de R$ 102,41, vence no dia 1º de abril.

Alerta

A SEF alerta que não envia nenhum tipo de boleto ou guia para os endereços dos contribuintes, assim como mensagens de celular ou de aplicativos de relacionamento contendo links para pagamento. Caso receba, o contribuinte deve ignorar.

C/ Agência Minas