Araxá, 23 de Outubro 2017
Clima Agora
26°

Pesquisar

Você está em

Notícias

Política

Publicado em:05/10/2017
:: Na Casa do Povo :: Famílias são retiradas do galpão de reciclagem e acolhidas por aluguel social
Depois de cumprir todo processo de análise social, as famílias foram retiradas do galpão e realocadas em residências de aluguel social

Problema foi levantado através do vereador Raphael Rios no Legislativo Municipal

Os núcleos familiares que estavam morando em um galpão de armazenamento de materiais recicláveis no Distrito Industrial tiveram a situação de moradia regularizada. No início do ano, o vereador Raphael Rios recebeu uma denúncia sobre a condição de risco em que estavam 20 pessoas (entre elas oito crianças).

Após contato com a secretária de Ação e Promoção Social, Lídia Jordão, as famílias passaram a receber acompanhamento. A situação também foi analisada pelo Conselho Tutelar e Ministério Público, por meio da curadora da Infância e Juventude, Mara Lúcia Silva Dourado.

Depois de cumprir todo processo de análise social, as famílias foram retiradas do galpão e realocadas em residências de aluguel social com auxilio da Prefeitura.

Reilda Maria era uma das moradoras do galpão e explica que algumas famílias estão vivendo no Centro e outras no bairro São Geraldo. “O galpão ficou mesmo só para o trabalho. Lá era muito apertado, tanto para moradia quanto para colocar os materiais. Não era lugar nem pra gente, nem pra criança viver”, afirma.

Segundo a secretária Lídia Jordão, foi realizado um trabalho em conjunto pelas Secretarias do Município para resolver definitivamente o problema. “Foi feito um trabalho social e, além da destinação dessas famílias para residências dignas, as crianças foram encaminhas para escolas e creches, garantindo o acesso ao ensino”, destacou.

O vereador Raphael Rios afirma que a ação de várias pessoas que se preocuparam com aquela situação precária resultou em mais dignidade para as famílias. “Essas famílias prestam um serviço muito importante para a coleta seletiva e o meio ambiente de Araxá. É preciso reconhecer e dar apoio para a sequência desse trabalho”, arrematou.