Araxá, 24 de Julho 2017
Clima Agora
16°

Pesquisar

Você está em

Notícias

Política

Publicado em:19/05/2017
:: No Legislativo :: Fórum Comunitário debate a situação dos animais em Araxá. Entenda...
Encontro proposto pela vereadora Fernanda Castelha reuniu representantes de vários órgãos da cidade

Fórum foi realizado no plenário da Câmara Municipal de Araxá

Por solicitação da vereadora Fernanda Castelha (PSL) foi realizado na quarta- feira (17), no Plenário da Câmara Municipal, Fórum Comunitário com o objetivo de orientar a população sobre a situação dos animais abandonados em Araxá, esclarecer o funcionamento do Canil Municipal e como fazer denúncias em casos de maus tratos.

O evento contou com a participação de representantes do Executivo Municipal, Vigilância Sanitária, Polícia Ambiental, Corpo de Bombeiros, protetores de animais, imprensa e população. O vice-presidente da Mesa Diretora, vereador Bosco Júnior conduziu os trabalhos e destacou as ações realizadas pela vereadora Fernanda em prol da causa animal.

A vereadora solicitante do Fórum abriu os trabalhos alertando sobre as dificuldades enfrentadas pelos protetores de animais que estão com seus lares lotados e sem condições financeiras para mantê-los. A parlamentar falou sobre a obra de construção do Canil Municipal levantando algumas adequações que poderiam ser feitas para que o projeto atenda com mais eficiência seus objetivos.

Flávia Rios, coordenadora da Vigilância Sanitária, apontou que 771 cães foram castrados em Araxá entre 2016 e 2017, através de serviço terceirizado que terá resultados obtidos a longo prazo. Ela destacou: “o número de animais a serem castrados é determinado por dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) que estabelece que 20% da população de animais precisa ser castrada para manter o controle populacional”, destacou.

Vicente Martins, engenheiro da Secretaria de Obras responsável pela construção do Canil, esclareceu dúvidas sobre o projeto: “o canil vai abrigar 700 animais entre gatos e cachorros, e será equipado com espaço para pequenas cirurgias. A obra está atrasada em função de algumas adequações que precisaram ser realizadas, mas a previsão é que fique pronta nos próximos 90 dias”.

A Polícia Ambiental e o Corpo de Bombeiros também participaram esclarecendo seus papéis em relação aos animais. O sargento Ricardo apontou que a Polícia Ambiental é quem recebe denúncias de maus tratos e o sargento Henrique lembrou que o Corpo de Bombeiros atua coletando cães perigosos. Ambos apontaram que o maior problema que eles enfrentam é não ter para onde encaminhar os animais.

A procuradora Jurídica do Município, Cidinha Rios, lembrou que quando começou a elaboração do projeto para construção do Canil, ocorreram várias reuniões para que protetores de animais e vereadores pudessem discutir o projeto. Ela lembrou que a obra está sendo feita obedecendo as regras das legislações pertinentes.

Diversos protetores de animais estiveram presentes e alertaram sobre a importância de campanhas educativas para conscientizar a população contra o abandono e maus tratos e sobre as dificuldades enfrentadas pelos lares. Por fim, a vereadora Fernanda encerrou o encontro concluindo que os protetores não conseguem agir sozinhos, necessitando de uma atuação em conjunto com a população, Poder Público e Polícia Ambiental.