Araxá, 24 de Julho 2017
Clima Agora
16°

Pesquisar

Você está em

Colunas

Nutricionismo

Publicado em:20/01/2017
:: Saúde e Bem Estar :: Alimentação na Praia e como se prevenir dos problemas de saúde. Confira...

Para garantir um passeio tranquilo é fundamental ter bastante atenção no momento de escolher o local de venda dos alimentos

O verão é uma estação do ano na qual a maioria das pessoas querem relaxar, se refrescar e garantir o bronzeado. Nesta época as praias ficam mais lotadas e por isso alguns cuidados com relação à alimentação devem ser tomados para se evitar problemas de saúde e ainda colocar a dieta em risco.

Para garantir um passeio tranquilo é fundamental ter bastante atenção no momento de escolher o local de venda dos alimentos. A procedência dos mesmos e as condições dos manipuladores, que devem apresentar roupas limpas, unhas curtas, cabelos presos ou protegidos e dispor de local para higiene das mãos é de fundamental importância.

Levando em consideração essas restrições, de forma geral, a melhor opção são os estabelecimentos fixos, como os quiosques, ao invés de pontos móveis e ambulantes.

Esses cuidados visam evitar intoxicações alimentares causadas pela presença de bactérias, como Staphylococcus aureus e Clostridium Perfringens, nos alimentos, que podem ocasionar sintomas como vômito, diarréia, e até mesmo cólicas abdominais, cefaléia e febre.

As causas mais comuns da contaminação alimentar são: o armazenamento inadequado e o contato com utensílios, manipuladores e outros alimentos contaminados.

Alguns alimentos são mais suscetíveis à contaminação, como as carnes, aves e pescados, leites e derivados e verduras, sendo que esse último normalmente apresenta contaminação pela higienização inadequada ou mesmo pela utilização de água contaminada na higienização.

A partir disto, é importante se atentar ao consumo de porções, queijos, saladas, salgados e frituras, que são alimentos frequentemente disponíveis em praias.

Dentre as opções de alimentos para comer na praia, as melhores escolhas são as preparações grelhadas, cozidas e assadas, como as porções de carnes, peixes e frango; o milho na espiga e no pratinho (lembrando de adicionar pequena quantidade de sal e manteiga), também é uma boa opção. Até mesmo o queijo coalho grelhado.

Deve-se evitar, ao máximo, os alimentos empanados e fritos como o pastel, o camarão, as porções de carne e peixe frito, o croquete e a coxinha.

No entanto, considerando as opções de alimentos disponíveis na praia, sempre que possível prefira alimentos com menor manipulação possível. Uma opção podem ser os produtos industrializados, dos quais um bom exemplo é o tradicional picolé.

Porém, as melhores escolhas são os à base de frutas e de preferência de marcas confiáveis, pois contém água em sua composição, e essa pode ser uma via de contaminação dos alimentos quando apresentar coliformes totais e fecais, o que significa uma água imprópria para o consumo.

As frutas, de forma geral, podem ser uma alternativa interessante para o consumo na praia, porém não se pode esquecer da higienização correta: lavar em água corrente e deixar de molho em solução clorada antes do consumo. Uma boa opção para levar à praia também são as frutas na forma desidratada (frutas secas).

A água de coco é uma boa opção de bebida, uma vez que a água predomina em sua composição e assim, confere a esta bebida um baixo valor calórico. Além disso, contém micronutrientes que auxiliam na hidratação adequada, e até mesmo na reidratação oral em casos de desidratação. Uma alternativa interessante é o mate gelado, disponível em algumas praias, já que auxilia na hidratação e conta com propriedades antioxidantes.

Uma boa alternativa é levar alguns alimentos de casa, como frutas (maça, uva) e biscoitos integrais, sem esquecer dos cuidados com o armazenamento. Mas nunca deixe de se alimentar de 3 em 3 horas e consumir bastante líquido.

Referências Bibliograficas

ALVES, N.C.; ODORIZZ, A.C.; GOULART, F.C. Análise microbiológica de águas minerais e de água potável de abastecimento, Marília, SP. Rev. Saúde Pública, São Paulo, Vol.36, n.6, dez., 2002.

CARVALHO, J.M.; MAIA, G.A.; FIGUEIREDO, R.W.; BRITO, E.S.; GARRUTI, D.S. Bebidas mistas com propriedade estimulantes à base de água de coco e suco de caju clarificado. Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, vol.25, n.4, p.813-818, out./dez., 2005.

RODRIGUES, K.L.; MOREIRA, A.N.; ALMEIDA, A.T.S., CHIOCHETTA, D.; RODRIGUES, M.J.; BRODÓ, J.B.C.; ALEIXO, J.A.G. Intoxicação estafilocócica em restaurante industrial. Ciência rural, Santa Maria, v.34, n.1, p.297-299, jan./fev., 2004.

Um Abraço e até a próxima...
Nutricionismo
Cíntia Stefania Nepomuceno E-mail: Colunista desde: 2013-10-11 Dra. Cíntia Stefania Nepomucemo é formada em Nutrição pela Universidade de Franca – UNIFRAN. É natural de Araxá e já realizou vários cursos de aperfeiçoamento na área da saúde. Atualmente é uma das profissionais mais requisitadas em Araxá.